domingo, 8 de abril de 2012

A Bela Sintra - 105 sul, Brasília.

Pessoas,

há tanto tempo estou desiludida com restaurantes caros demais para a comida que servem. Por isso, não fomos a praticamente nenhum desses restaurantes da alta sociedade que abriram ultimamente na cidade. Não por falta de vontade ou curiosidade, é por receio mesmo de gastar uma fortuna e não ir embora satisfeitos ou não com satisfação proporcional à quantidade de realidades deixadas a mais na conta comparando-a com vários outros locais com custo benefício justo.

Porém, aproveitando o desconto de 30% na conta do A Bela Sintra nos casos de reservas feitas pelo Grubster, e considerando que a gente já tinha utilizado o serviço e funcionou pereitamente bem, como vocês podem verificar aqui, resolvemos ir conhecer o restaurante.


Chegamos, disse meu nome e que tinha uma reserva. O cara arrumadinho da porta completou: para duas pessoas, né? Isso.


Arrependimento.


No começo, foi tudo lindo. Ambiente impecável, confortável, luz adequada e atendimento super cortez, sem sufocar. De ruim, só a música. Como pode o gerente da casa permitir uma música tão nada a ver naquele local? Era música meio balada, com tumtumtum, ou do Skank, que eu adora, mas não naquele lugar, entendem?


O couvert é mesmo fantástico, como dizem por aí. Não tenho fotos de nada, porque fui atualizar o software do meu celular e perdi tudo. Burra. Mas, o couvert. Custa R$ 20,00 e tem uma infinidade de coisas gostosas, como queijo fresco (em forma de coração), manteiga (em forma de coração), patê de azeitona divino, patê de tomate seco (?), bolinho de bacalhau dos mais gostosos dessa vida e croquete de carne, também de alto nível, pimenta (na opinião do Vinicius, bem saborosa e pouco ardida). Além das torradas e pães que completavam o time. A reposição é farta e dá pra ficar cheio só com o couvert.


Para beber, optamos pela opção mais barata da carta, um Casa Valduga que custou R$ 95,00. Gostei do vinho, mas não vale tanto.


Para comer, gente, que lugar caro! Muitos pratos do cardápio custavam 3 dígitos. Optamos pelas sugestões do chef, que ficavam entre 60 e 70 realidades. Eu, Bacalhau a Bras e o Vinicius Arroz de Polvo.


Considerações sobre o meu prato, Bacalhau a Bras, composto de bacalhau desfiado (virtual), azeitona (vi umas três), batata palha, ovos e cebola :

  • a porção é grande, daria para dividir;
  • ótimo para quem não gosta de bacalhau, porque não tem gosto dele mesmo;
  • a quantidade excessiva de cebola deixou o prato tão doce que deveriam colocá-lo na categoria "sobremesa". e olha que o prato tinha azeitona!
  • quando cansei de comer cebola e resolvi pescar bacalhau, puder sentir um gostinho bom e super suave. Ou seja, se tivesse uma quantidade de bacalhau condizente com o preço do prato, seria uma ótima opção para quem não gosta do gosto forte do peixe. 
  • ainda estou de cara como conseguiram fazer um prato doce com bacalhau e azeitona . esse povo merece ser premiado mesmo, né? Aposto que vão sair na Veja Brasília.
  • para fechar o pacote desespero, o prato tinha partes frias.
O Arroz com Polvo do Vinicius, por outro lado, estava bom. Ele elogiou bastante, estava quente e a aparência era realmente atraente. Provei um teco, e me pareceu nada mais que arroz carreteiro. Mas, com o paladar doce de cebola, nenhuma impressão gustativa merece respaldo, não é mesmo?

Rejeitamos a sobremesa por falta de espaço estomacal (e também porque eu já tinha comido bastante doce, e doce demais faz mal), mas aceitei o café, Nespresso, não sei o valor, com mimos doces acompanhando.

Quando a conta chegou, nada do desconto de 30%. Informamos sobre a reserva do Grubster e eles disseram que as opções de cardápio chamadas "sugestão do chef"  não estavam incluídas no desconto, e eu argumentei que não havia ressalva alguma na página do restaurante no site. Por fim, colocaram a culpa em São Paulo (?).

Ocorre que, se o problema era porque havíamos pedido as sugestões do chef, deveria já ter vindo o desconto do vinho e do couvert.

Por fim, eles foram e voltaram com a conta com um desconto bem menor que os 30%. Não sei dizer sobre o que incluiu o desconto, pois desistimos de discutir e eles também não estavam a fim de muitas explicações. O cara ficava falando baixo e rápido e pedindo desculpas. Não foi legal. E a nota fiscal emitida foi manual, sem discriminação dos itens e preços. Na minha opinião, o A Bela Sintra, fazendo papel de fera, agiu com má-fé.

Logo após o ocorrido, tuitei sobre o fato e muito rapidamente o Grubster entrou em contato e devolveu o dinheiro da reserva.

Assim foi. Não recomendo!

Deveria ter ido ao Goemon ou ao Nossa Cozinha gastar menos da metade e sair triplamente feliz. VDM.

Beijocas. Vanessa.

10 comentários:

  1. Taí um lugar que não vê mais a cor do meu suado dinheiro.
    Fui com a minha esposa e outro casal amigo apenas uma vez. A decepção foi tanta que nunca mais volto lá.
    Sempre digo que, alguns lugares, ainda que caros, valem cada centavo. Dou como exemplo a Fogo de Chão, o Bsb Grill e o Gero.
    O "A Bela Sintra", pelo que andam falando, não deve durar muito mais aqui em Brasília.
    Parabéns pelo blog.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Isso aí! Como li uma vez lá no Bacco e Bocca, o Gero é caro, mas respeita seu dinheiro.
    Obrigada pelo elogio e pela visita.
    Abraços, Vanessa.

    ResponderExcluir
  3. Van, adorei a dica!!! Já tinha ouvido falar mal do restaurante, mas vindo de uma "expert" em bons restaurantes, agora q não vou mesmo!!!! Amo o blogdenosdois!!!

    ResponderExcluir
  4. Aline, nem vai mesmo! Vá ao Gero.

    ResponderExcluir
  5. O vinho 'não vale tanto', nem o restô(...)

    ResponderExcluir
  6. Olá Vanessa,

    Primeiramente, gostaríamos de parabenizá-la pelo Blog. A iniciativa de manter uma página de críticas sobre o que há na cidade é extremamente importante, tanto para os moradores quanto para os donos dos estabelecimentos.

    Sentimos muito por quaisquer transtornos que tenha tido no restaurante A bela Sintra. Nosso foco é manter sempre um alto nível de atendimento, qualidade e, acima de tudo, satisfação do cliente. Lamentamos por não ter criado uma boa impressão com você.

    Queremos ressaltar que nosso propósito é oferecer a melhor experiência gastronômica, portanto estranhamos os pratos mencionados terem apresentados problemas. Os mesmos fazem parte do cardápio do restaurante desde a inauguração da matriz em SP.

    Esperamos poder contar com uma nova visita a fim de desfazer essa má impressão.

    Atenciosamente,

    Equipe A bela Sintra.

    ResponderExcluir
  7. Equipe A bela Sintra, obrigada pelos elogios e por deixarem suas considerações no blog.
    Tomara que numa próxima visita eu tenha mais sorte.
    Até lá!
    Vanessa.

    ResponderExcluir
  8. Eu to de cara! Eu e a esposa já fomos 3 vezes, e numa delas fizemos questão de levar meus pais, que ficaram maravilhados! Na primeira vez que fomos comentamos com o maitre (Alexandre, salvo engano) que tínhamos acabado de voltar de Portugal, e que havíamos comido no Tia Alice (em Fátima) uma sobremesa maravilhosa, que não sabíamos o nome. Descrevemos a sobremesa a ele, e ele, após conversar com o chef, falou que era Pudim Abade de Priscas. Se nós quisessemos, na próxima vez que viéssemos poderiamos ligar antes e pedir essa sobremesa que eles faziam. Bom, não só fizeram como depois fizeram questão de não cobrar. Não ficou bom como o do Tia Alice, mas valeu mesmo assim pelo carinho. Ainda voltamos depois. Mas sim, com o belo couvert que eles servem, um prato (como regra geral) é mais do que suficiente para duas pessoas, a não ser que sejam dois jogadores de pólo aquático.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Roberto, demos azar!
      Obrigada por compartilhar sua experiência :)
      Vanessa

      Excluir