terça-feira, 21 de setembro de 2021

Maranhão e Piauí - Julho/2021, criança com 3 anos e 10 meses

Lia, 

em julho de 2021, passamos, eu, você, papai e vovó Nédala, 10 dias entre Maranhão e Piauí, numa parte da famosa Rota das Emoções. Voamos na ida até São Luís/MA (de LATAM - você conheceu a cabine do avião!) e voltamos por Parnaíba/PI (de Azul - aliás, que aeronave! Tinha wifi e TV a bordo). 


Nosso roteiro foi 3 noites em Santo Amaro do Maranhão, 5 noites em Barra Grande/PI e 2 noites em Parnaíba/PI.

Fizemos todos os translados (São Luís - Santo Amaro do Maranhão - Barra Grande - Parnaíba) com a Vento Ecoturismos (Vando 86 99926-6373) e adoramos o serviço. Pontuais, carros em excelente estado (inclusive sua cadeirinha de transporte), ótima comunicação. O valor combinado foi de R$ 2.000,00 em carro do tipo SW4 ou similar. 

Lençóis Maranhenses - Santo Amaro do Maranhão

Chegando em São Luís, nosso motorista já estava nos esperando. Fizemos uma rápida parada para almoço numa churrascaria por quilo perto da saída do aeroporto e seguimos viagem até Santo Amaro do Maranhão. São mais de 3 horas de deslocamento. Foi super tranquilo, você dormiu o caminho todo, praticamente. Escolhemos Santo Amaro do Maranhão (e não Barreirinhas) porque a cidade fica praticamente na entrada no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, então o tempo de deslocamento entre a cidade e o parque é bem curto. 

Achamos a escolha certeira. A cidade é muito pequena, bem cidade do interior, mas é colada no parque mesmo. Como ficamos numa pousada bem estruturada, não precisamos recorrer à cidade para nada. Era passar o dia passeando, chegar na pousada, jantar e dormir. Minto! Teve jogo também. Teve Brasil x Argentina pela Copa América 2021 (perdemos, mas o Messi ganhou, mamãe e papai ficaram felizes!!!) e teve também Itália x Inglaterra pela Eurocopa 2021, e deu Itália nos pênaltis, e foi mega emocionante porque a pousada que ficamos é de uma família italiana, então teve torcida e coração saindo pela goela.

Nos hospedamos na charmosa Ciamat Camp. O lugar é charmoso demais! Praticamente tem um cajuzeiro gigante no meio e a pousada foi se formando ao redor, com chalés/bangalôs individuais (acho que tem aps com ar condicionado tb), muita natureza, animais (papagaio, jabutis, gatos, cachorro, patos), uma pequena lagoa, paz e sossego. É imersão na natureza. Ela fica na beira de um rio e foi delicioso tomar um banho de rio ao por do sol. Tem restaurante e os preços não são abusivos. Achei estranho não ter água mineral no café da manhã. Fora isso, o café da manhã é bem farto e gostoso. O preço não foi baixo: 3 diárias por R$ 1.989,00.


Filha, você cruzou o rio que passa na beira da pousada com o papai e foi até a outra margem!

As acomodações são bangalôs individuais.

É uma pousada ecológica, então não tem TV nos quartos (só tem no bar, na verdade), não trocam as tolhas e roupa de cama todos os dias (isso me incomodou porque em destinos de água e areia parece que tudo suja mais) e tem perereca no quarto. Inclusive acordei uma das noite sentindo um treco caindo/pulando da minha cabeça e, ao acender o visor do celular para espiar o que poderia ter sido, avistei a perereca ali perto da cabeceira, logo antes dela fugir da luz. 

Você, filhota, curtiu muito a pousada e seu amigo Tomazo, neto da proprietária. Brincou muito com ele, adorou ver os jabutis, o papagaio, os patos, os sapos. Tomou banho de rio e até o cruzou com o papai, seguindo até a outra borda. Uma aventureira!

Nossos passeios foram reservamos através da pousada. Mamãe não fez questão de decorar o nome de nenhuma lagoa, mesmo porque muitas delas são temporárias. As areias estão em constante movimentação e a cada temporada as lagoas se formam em novos lugares. Foram dois dias de passeios. Um de dia inteiro, chamado Betânia (privado - R$ 700), e, no outro, pela manhã, fizemos o passeio América (privado - R$ 430) e, a tarde, papai e mamãe foram fazer o passeio chamado Emendadas (coletivo- R$ 130 por pessoa), enquanto você e a vovó ficaram curtindo a pousada.

Lençóis maranhenses é simplesmente magnífico. É dos lugares mais lindos que mamãe já viu. É incansável. Você curtiu muito, subiu e desceu duna até cansar, se fartou nas lagoas de água doce e cristalina, dormia quando se cansava. Foi muito legal demais.

No primeiro dia de passeio (Betânia), optamos pelo passeio privado (por motivo de pandemia e também porque com criança ficamos mais tranquilos em ter autonomia). Saímos da pousada pouco depois das 09h na nossa 4x4 (que eu apelidei carinhosamente de rural, pois a música tema da nossa viagem foi Arruma a mala aê. A gente cantava toda vez que arrumava as coisas da viagem, lembra, filha?). A graça começa logo, quando o carro chega na areia e começa a andar pelas dunas. Filha, você ria e gritava tanto, levantava os bracinhos e gritava Uhhhh. Vento batendo, areia voando, visual maravilhoso, você feliz. Foi demais. Logo nosso motorista parou bem na beira de uma lagoa linda e montou nosso cantinho com guarda sol e cadeira. Ficamos um tempo ali curtindo tudo, nadando. Daí, seguimos para outra lagoa, só nossa (vantagens do tour privado, dá pra ir escolhendo onde parar).

A lagoa toda nossa!



Soninho da Bela AdormeLia


A cor dessa água!


Depois, seguimos até o povoado de Betânia (entendeu o nome do passeio?? hehe) para almoço (já encomendamos os pratos pela manhã, antes de sair da pousada). Para chegar no povoado, a gente deixa o 4x4 estacionado e pega uma lancha, anda um pouquinho, pega outra lancha, anda mais um pouco e chega no restaurante. Parece que antes era uma lancha só, mas tem um trecho do rio que está raso demais, aí a gente tem q ir a pé. Achamos uma aventura. Na ida, você esta dormindo e aí, entra em ação a mamãe e o papai super heróis para carregar a bela adormecida. Eu fiquei foi com dó de você estar dormindo e não aproveitando a aventura. Mas na volta você estava acordadona!


Perrengue? Sim! Faria de novo? Com certeza!!!



O almoço foi num restaurante simples, chamado Rancho do Carimbó, mas gostoso. A gente passou um tempinho lá, descansando, tem redes. Nesse dia, você resolveu comer uma mãozada de areia. Sim, colocou a areia na boca e começou a mastigar. Aí engasgou, claro, cuspiu um tanto, mas outro tanto bom foi engolido. Deu nada, não.

Depois do almoço e do cochilo, voltamos para uma lagoa vazia (vantagem do passeio privado, o guia roda até encontrar uma lagoa vazia) e por lá ficamos até perto da hora do por do sol, quando nos deslocamos novamente para enlouquecer com a beleza daqueles raios do sol dourando as dunas enquanto se punha. Que dia maravilhoso nós tivemos e como você se divertiu, filha.






No dia seguinte, pela manhã, fizemos o passeio América. Nesse passeio, vamos de carro até o porto de Santo Amaro e pegamos uma lancha rápida (voadeira) até as dunas. O trajeto de lancha, que dura uns 15 minutos, é fantástico. A gente passa por algo que parecia um pasto alagado. Estava cheio de bodes, cabras, vacas e várias delas com água até o pescoço! Só a cabeça da vaca de fora. Uma verdadeira vaca atolada. Nesse passeio, senti falta de mais explicações do guia (que na verdade foi só motorista mesmo), porque a região era muito diferente com aqueles bichos todos no meio da água. Chegamos perto das dunas, vimos muito bodes também. Ali ficou evidente que o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses não é só areia e duna, como mamãe imaginava antes de ir. Tem muita vegetação, animais, umas regiões que parecem mangue. Saindo da lancha, andamos um pouco até uma lagoa espetacular. Tinha outra família fazendo esse passeio, mas não teve incômodo algum. Ficamos por ali, nadando, andando. Nossa. Que lugar lindo. 


O porto de Santa Amaro do Maranhão

A rica vegetação do Parque dos Lençóis Maranhenses

Que lagoa!

De um lado, lagoa com água cristalina. Do outro, vegetação e bodes.

Lagoinha privada.

Voltamos para a pousada para almoçar e, a tarde, mamãe e papai foram para o passeio Emendadas.

Emendadas é um passeio muito especial. A gente vai de 4x4 até o ponto do parque onde é permitido carro. Depois a gente faz o passeio caminhando pelo parque, pelo coração do parque eu diria, e a coisa fica incrivelmente espetacular. Filha. Mamãe nem tem palavras. A gente precisa voltar lá pra você fazer essa caminhada. Aí tem duna, lagoa, vista do mar lá no horizonte, tem por do sol e, então, a gente volta caminhando até o carro depois que o sol se pôs, só com o reflexo da lua e do céu brilhantemente estrelado. Foi muito especial. Muito. É impressionante que o guia saiba o caminho de volta em meio aquela escuridão toda. 









Mamãe tinha descoberto que há tartarugas no parque e fiquei torcendo pra gente encontrar com alguma no passeio. Não encontramos. Mas, na volta, quando já estávamos no carro, o guia viu rastros de tartaruga num ponto da estrada e parou o carro para tentar achar a danada! Não achou, mas eu achei o gesto de uma gentileza ímpar :-)

Barra Grande/PI

No dia seguinte,  foi hora de partir para Barra Grande/PI. Nosso transfer chegou na hora marcada, umas 08, e chegamos em Barra Grande/PI pra almoçar. 

Barra Grande/PI é famosa pelo kitesurf. O céu vive colorido com tantas pipas soltas pelo ar.



Desde nossa viagem para Cumbuco em dezembro de 2018, que foi quase que específica para que o papai fizesse kite lá, ficamos com vontade de passar uma temporadazinha em Barra Grande. A combinação com os Lençóis Maranhenses foi ótima!

Nossa primeira hospedagem em Barra Grande foi na Pousada BGK, muita disputada por lá. Só conseguimos passar 3 noites nela, tivemos que mudar de hospedagem para as outras 3 noites. Para 3 diárias, o Bangalô Coqueiral custou R$ 2.268,00 e o Bangalô Frente Mar R$ 2.847,60. 

A pousada é maravilhosa! A estrutura parece até de resort, mas não é all inclusive e não tem programação de entretenimento. O café da manhã é excelente, servido em lindas louças da Serra da Capivara, as acomodações são bangalôs individuais, imensos, com um lounge individual na parte de baixo, a água da piscina é deliciosamente climatizada, o atendimento é ótimo, a comida do bar Pé de Vento (colado na pousada e servem almoço nas acomodações) é deliciosa e farta. Enfim. Amamos! Você, filha, era que nem peixe naquela piscina. E tem um monte de iguanas. Além de tudo, na tem a escola de kite BGK, então facilita para quem for praticar o esporte.


o lounge embaixo do nosso bangalô.

Nos bangalôs localizados na beira da piscina, "de casa" mesmo a gente fica de olho na criança

Em Barra Grande, o sol se põe no mar.

As cerâmicas da Serra da Capivara <3


Como tivemos a companhia e ajuda da vovó Nédala, mamãe também se aventurou numas aulas de kitesurf. Olha, filha, dá um livro a mamãe nas aulas de kite. Teve pé cortado nas pedras (a areia é grossa e tem pedras no mar, o pé - de quem não consegue se equilibrar na prancha - fica detonado!), teve pescoço travado, teve o instrutor perguntando minha idade (porque eu não evoluía naquele troço..ahahah). No fim das contas, valeu a experiência, consegui fazer quase nada, não quero mais, obrigada :-) O papai arrasou no kite!



um baiacu morto :-(

Nossa outra hospedagem em Barra Grande foi na Pousada Vento do Kite. A localização é ótima e pousada é bem gostosa, acomodações grandes, café da manhã gostoso. Só que para crianças não tem nadica de nada de nada. É uma pousada para dormir e só (3 diárias para dois quartos custaram R$ 1.854).  Então, o jeito foi arranjar jeito de te entreter, filha. 

O jeito arranjado foi ir atrás de day use nos hotéis que tinham piscina. Muitos oferecem essa opção, mas a maioria não estava com esse serviço a disposição porque era alta temporada e os hotéis estavam cheios. Fomos um dia para o Mero Hotel Boutique. Hotel novo, lindo, confortável. Cobra R$ 200 pelo Poolday das 10h30 às 19h, sendo que R$ 150 é revertido em consumo. Menores de 8 anos não pagam. Tem piscina e banheira de hidromassagem. Ah, e um chá da tarde. E no dia em que estávamos lá também teve showzinho ao vivo a tardinha. Foi um dia delicioso, na maior parte do tempo a área estava bem vazia. Valeu super a pena!!! Comida deliciosa, e o valor da consumação deu pra todo mundo comer bem.

No outro dia, fomos na Pousada Paraíso da Barra. O acesso à pousada é de R$ 30 por pessoa.  A piscina é pequena, mas resolve, tem um parquinho de areia bacana, a área externa da pousada eh bem bonita. Pena que nossa experiência com o almoço foi péssima, serviço demorado, pedido errado. 

Barra Grande é um vila bem pequenininha e praticamente todos os restaurantes e a vida noturna se concentram numa rua só, a Rua do Pontal da Barra. Varia só uma rua pra cima ou para lado. É pra se fazer tudo a pé, de chinelo. 



Apesar de pequena, é cheia de pousadas e restaurantes charmosos. Mamãe voltou querendo conhecer uns 3 restaurantes de lá. Saímos para jantar todas as noites. O Mô Restaurante, que fica na Pousada Titas, ganhou nosso coração. Fomos duas noites, as fotos abaixo são dos pratos que comemos lá. Na quarta-feira, claro, fomos comer sushi (quarta é a sushi night da nossa família!) no Barbatana, bem gostoso também. Teve também o restaurante Manga Rosa (gostoso, mas serviço  demorado), hambúrguer, muito sorvete (inclusive o sorvete azul de algodão doce!), muito picolé (que derretia antes de você chegar no fim), muitas brincadeira na areia, muita diversão com a vovó. 






Em Barra Grande, fizemos o passeio do cavalo marinho. Parece bobo, mas foi super divertido! Começou com o guia nos buscando no hotel com uma charrete puxada por um burrico até o ponto onde entramos na canoa (sim, o deslocamento é feito a remo pelos guias!). O horário do passeio depende da maré, pois o passeio ocorre em um braço do mar, que se forma quando a maré está cheia. Até chegar na Ilha dos Cavalos Marinhos, passamos por um mangue e avistamos muitos caranguejos, de vários tamanhos e cores, descemos da canoa para tomar banho. Os guias são ótimos, nos mostram as aves, como a belíssima garça azul (que nasce branca, mas fica azul por causa da alimentação), os peixes, falam sobre a vegetação. Quando chegamos no ponto dos cavalos marinhos, um dos guias mergulha em busca do cavalo marinho. Quando ele o encontra, coloca em um aquário e mostra pra gente. Na volta, vamos de canoa até a charrete novamente e seguimos para nosso hotel, com você dormindo no nosso colo, porque aquela canoa naquele sol dá um soninho.... O passeio privado custou R$ 100 por pessoa. 



A garça azul!




Barra grande foi assim. Uma delicinha. De lá, partimos para Parnaíba.

Parnaíba/PI

Saímos de Barra Grande umas 10h30 e 70km depois estávamos em Parnaíba. Passamos na pousada rapidinho para deixar as malas e seguimos para o passeio pelo Delta do Parnaíba (muita gente faz esse passeio partindo de Barra Grande, é tranquilo). 

Ficamos hospedados na pousada Vila Parnaíba. Excelente opção, com custo benefício maravilhoso (2 diárias custaram R$ 632). Quartos confortáveis com smart TV, amenities da Natura, jardins e área externa super charmosos, café da manhã maravilhoso, atendimento atencioso. 

A região é cheia de iguanas! Os hotéis sempre têm uma multidão delas (assim, 20, 30!)




Sobre o passeio do Delta do Parnaíba, que dia! Fomos de carro até o Porto dos Tatus (tem um minimercado, pode ser útil, compramos água, cerveja, salgadinho pra levar no passeio. Você, filhota, adivinha o que quis? Um picolé!). Daí, pegamos a lancha e seguimos até a ilha Canárias, onde almoçamos no Restaurante Recanto dos Pássaros. Comida gostosa, lugar agradável e rede, onde você tirou um cochilinho bom, filha. Ainda bem que optamos pelo tour privado, porque você dormiu, pedimos um café e não tivemos pressa pra ir embora. Só tivemos menos tempo na parada para banho antes de irmos ver a revoada dos guarás, mas tudo bem. Depois do restaurante, seguimos até um ponto para banho num local bem parecido com algumas partes dos Lençóis, porque tinha uma duna, e aí fomos para o local de onde se avista a revoada dos guarás. Que espetáculo da natureza! No por do sol, os guarás vão todos para uma mesma ilha para passar a noite. O deslocamento deles todos para essa ilha é a chamada revoada dos guarás (veja esse vídeo!) e é emocionante!!! 

Local onde almoçamos na Ilhas Canárias

Beba local!


Aqui foi na parada para banho pós almoço e, no seu caso, pós cochilo. Tava com a energia carregada!

A imensidão do delta!

Os guarás indo em direção à ilha onde dormem.

Tudo isso que é vermelho na foto é guará.

A volta da lancha até o porto é no escuro e parecia que não chegava nunca..rsrs. Estávamos molhados, então convém levar agasalho porque o frio incomodava. 

Em Parnaíba, curtimos a pousada, fomos no shopping, visitamos o centro histórico, tomamos sorvete na recomendadíssima sorveteria do Araújo, fomos comer a torta de caranguejo. Fizemos até teste drive numa SUV da Mercedes, pois estava tendo uma ação de marketing deles junto com o restaurante Mangata, onde fomos almoçar antes de irmos pro aeroporto (ótimo restaurante, por sinal!). A ação era a seguinte: faça o teste drive e ganhe R$ 100 de desconto na conta do restaurante. Assim, isso mesmo. Sem pegadinha. Sem ninguém ficar nos ligando insistentemente dias depois.



Voltamos de Azul, num voo interminável com infinitas conexões (saímos de Parnaíba 15h15 e chegamos em BSB 23h40), mas você se comportou muito bem, viu seus desenhos. Só deu uma estressada no aeroporto de Viracopas, acho que juntou fome e cansaço e foi aquela tensão! Mas, a santa da vovó Nédala te legou pra comprar um presente e aí você acalmou e retornou a ser a criança simpática de sempre. Não cansava de dizer olá para as pessoas e mostrar que você tinha ganhado um presente :-) "Oláaaa, olha, eu ganhei um presente" e mostrava a sacola para a pessoa. No vôo para Brasília, você logo dormiu, chegou dormindo em casa e acordou só no dia seguinte.

Essa foto foi para registrar o que você disse quando viu esse aviões particulares: "Eu também quero um avião de brinquedo!"

Esse céu abençoando o fim da nossa viagem espetacular

Nossa viagem foi ótima!! Amamos as pessoas, as comidas, o bom humor, a hospitalidade, a vibe alto astral daquele povo.

Beijocas. Mamãe.

3 comentários:

  1. Que viagem linda e que registrado caprichado! Um dia a Lia vai adorar ler.

    Encantada com a beleza e a diversidade dos Lençóis Maranhenses. Também achei que era só água e areia.

    Beijos!

    ResponderExcluir