domingo, 20 de julho de 2014

Osaka - Abril/2014

Pessoas,

de volta ao Japão.

Como disse, não conseguimos estadia em Quioto e nos hospedamos em Osaka. E não é que o que eu achava que tinha dado errado mostrou-se uma excelente alternativa?

Osaka não é um destino muito turístico e, por essa razão, é bem interessante. A cidade não é entupida de turistas, como Quioto na época das cerejeiras, é bem mais barata e, ainda assim, tem lugares lindos e legais a serem visitados.

Fora que é uma ótima opção para quem gosta de comer fora (que é nosso caso, mas não nessa viagem, onde não investimos quase nada em comida). Há até um ditado japonês que diz mais ou menos que as pessoas de Quioto gastam todo o dinheiro em roupa, as de Kobe gastam em sapatos e as Osaka gastam tudo em comida. Identifiquei-me!

A cidade é bem moderna, sem perder o charme dos vários pequenos templos japoneses espalhados por ela. Tem pontos lindos para ver cerejeiras e, por não ser tão turística, é ótima para observar o japoneses no dia-a-dia.






























De Osaka dá para fazer vários bate-voltas e assim fizemos. Fomos à Nara, Hiroshima e Quioto a partir de Osaka. Teremos post de tudinho.

Hotel

Ficamos hospedados no Hotel Hanshin. Pelo booking.com, 6 diárias custaram pouco mais de R$ 1.000,00. Adoramos. 

É super bem localizado, numa região com restaurantes e bares, na porta do hotel tem uma Family Mart, que é uma rede de mercados do tipo 7Eleven, que tem de tudo um pouco e quebra um galhão, especialmente porque na nossa diária não tinha café da manhã. E ainda fica exatamente ao lado de uma estação de trem grande, a Fukushima. Perfeito.

O quarto era legal, limpo e com um tamanho razoável. Apesar de ser de fumante (prepara-se para ter dificuldades para achar quartos de não fumantes por lá), não tinha cheirão de cigarro. Eles são muito cuidadosos nesse ponto. Tinha uma janelona linda que nos proporcionava vista da cidade, chaleira elétrica com chás e cafés, quimonos, sandálias, vasos sanitário mega equipado e tudo que você pode precisar num banheiro: sabonete, shampoo e condicionador (e decentes! meu cabelo ficava ótimo!), escova e pasta de dentes, cotonete, xuxinha de cabelo, secador. O chuveiro tinha água termal, que é terapêutica.

As fotos do booking.com são muito fiéis à realidade. Pode confiar!

Aqueles potinhos ali do lado são shampoo, condicionador e sabonete. Os potes são grandes e eles vão repondo o produto, tipo refil. 

Vista da janela do quarto a noite. Abaixo, vista de dia.




Não conhemos o spa, com piscina, e nem os restaurantes porque não tivemos tempo. Mas uma coisa curiosa que chamou a atenção é que na reserva do hotel havia o alerta de que pessoas tatuadas poderiam ser impedidas de usar as piscinas e outras áreas coletivas! Eu juro, tava assim ó: " Guests wuth a tattoo may not be permitted to enter public bathing areas and other public facilities." 

Tem a ver com a Yakusa, máfia japonesa na qual os integrantes são identificados por tatuagens. Uma simples pesquisa no Google indica um monte de sites sobre o assunto e até descobri um site que lista os locais que podem ser frequentados por pessoas tatuadas, o Tatoo Spot. Disse e repito: o Japão não cansa de nos surpreender.

O que fazer

Faltou tempo para fazer tudo que queríamos em Osaka. O parque da Universal e o aquário, por exemplo, ficaram pra outra oportunidade. Mas nos divertimos bastante! Anota aí para não deixar de conhecer:

  • Castelo de Osaka: lindo e rodeado de cerejeiras. O dia estava maravilhoso e na frente do castela tem uma área com comida de rua. Uma delícia. É possível visitar o interior do castelo, mas, sinceramente, não é lá muito interessante. A entrada custa ¥600 e tem um museu com a história de alguma guerra japonesa. Acho que vale mais a pena curtir a área externa, os jardins, fazer um piquenique.











Foto bem ao estilo japonês :-)

  • Templo Shitennoji:  um dos templos mais antigos do Japão, fundando em 593. A parte de fora é gratuita, e a de dentro é paga. Tem uma pagoda de 5 andares, onde se pode entrar (descalço) e subir os andares. É legal e bem baratinho, não lembro quanto exatamente, mas algo em torno de ¥300. 









  • Shisenkai: é uma área de Osaka bem típica daquele Japão que temos em mente: muitas pequenas lojas e rua cheia de placas incompreensíveis. Tem muita opção para comer, os famosos pachinkos e lá também fica a Torre de Tsutenkaku, de 103 metros de altura com observatório. Não subimos, ficamos curtindo a louca na parte de baixo mesmo.




  • Minami: é outro centro comercial, mas com muito mais painéis de neon.Tem muitas lojas bacanas e famosas , como a Forever 21, e é ótimo para comer. Vá a noite. Fica cheio e gente!



Osaka foi assim. Foi um ótimo começo para a viagem, surpreendeu e realmente ficaria mais alguns dias por lá. Para mais detalhes, clique aqui. No dia seguinte, Nara!

Beijocas. Vanessa.