sábado, 25 de dezembro de 2010

Da série "um pouco de muita coisa"

Pessoas, saibam:

  • o melhor biscoito de queijo, e talvez o pão de queijo, da Capital Federal está no Grenat Café, na 202 sul. Leiam sobre o lugar aqui. Deixei um comentário que vale por um post. 
  • no ChoppTime, na 411 sul, servem pratos executivos decentes que variam entre R$ 15,00 a R$ 20,00. Fotos abaixo, peixe e parmegiana. Quanto ao chopp, eles servem umas variedade de chopp, tipo chopp com suco de limão (argh!!), chopp claro com chopp escuro, chopp claro com colarinho de chopp escuro, etc. 


  • ando bem desanimada com as steakhouses da cidade. As últimas vezes no RoadHouse (do Pier e do Terraço) e Capital (sudoeste) foram sofríveis! Mas, fui à Capital do Pier essa semana e o sirloin steak servido no prato exceutivo estava de parabéns. Pena que o pão, conhecido pela maciez, estava de deixar qualquer masseter (um dos músculos da mastigação) dolorido. 
  • muitos shows na nossa Brasília em 2011! Daqueles que valem a pena ir mesmo sem gostar muito. E mais um monte no país. Confira a lista aqui e programe-se.
  • que preços são esses do segundo lote dos ingressos do Iron Maiden? Holy crap!!!!
  • um dos melhores serve-serve do Sudoeste é o Bella Rúbia, na 105. Acredite, como lá de vem em sempre. Além da comida gostosa, os donos são bem simpáticos. Sem contar que, às vezes, toca Chico Buarque.
  • em compensação, o Tremp Grill, serve-serve na 101 do Sudoeste, subsolo, tá decaindo. 
  • o risoto Italianíssimo do Dona Lenha merece atenção. Delícia numa bela apresentação, por R$ 29,00! E ainda tem Nespresso, por R$ 4,50.

  • o mexicano TacoPep em Águas Claras é legal. Tem rodízio por R$ 25,00, ambiente bem bacana e atendimento atencioso. A variedade não é lá de se ajoelhar, mas ainda assim é uma boa pedida pra ir com amigos bater papo e petiscar. E tem uns drinks lindos!!!!


  • provamos a Paulaner Salvator.  Faz um tempinho, não lembro detalhes, mas a boa impressão ficou. Compro de novo.

  • aliás, vou provar  desse roteiro aqui, lá do Brejas, o que ainda não conheço.
  • dia desses tive que dizer "não" para uma doação de um Bengal, gato lindo de raça rara. Detalhe: a pessoa estava doando o Bengal, que custa uns dois mil reais, porque comprou umas araras, que custaram dezesseis mil reais. Cada um com suas preferências animalescas e faz o que quer com seu dinheiro, ok? Nada de comentários mal educados sobre isso. 
  • a marca Sol, que tem o bolo de caixa de chocolate sem açúcar, tem também o de laranja. Mais gostoso ainda!
  • temos uma nova girafa no zoo de Brasília, a Ivelise! Nasceu dia 14 de novembro e eu só soube hoje :( Seguir o @maisbrasilia no twitter pra que???
  • O Marietta ainda serve deliciosos sanduíches naturais e massas recheadas. Abaixo, sanduba de atum com ovos, e raviole de ricota com nozes ao molho de tomates frescos. Molho incrível e recheio bacana. Um pouco seco, mas ainda assim valeu a pena. O único porém é que acho os preços de lá um pouco além.


  • Provei o rodízio do Suri, por R$ 39,90 de segunda a quinta, imperdível! Peças bonitas, bem feitas e com algumas curiosidades, como o sushi com couve, frita e sequinha, ou o sushi com acelga e farelos de doritos. Delícia! Detalhe: quando for preencher a comanda do rodízio, atente-se para o fato de que você estará marcando porções, e não unidades. Ninguém avisou, na comanda não tinha escrito e comemos muito mais que o programado! O cardápio a la carte tem outras tantas boas variedades bem interessantes. Quero voltar!


  • resolvemos inovar nos presentes de Natal esse ano. Todo mundo ganhou a mesma coisa: azeites aromatizados com manjericão fresco e alho e com pimentas diversas. A gente que fez :)

Beijocas! Vanessa

sábado, 18 de dezembro de 2010

4Doze Bistrô - 412 sul, Brasília-DF

Pessoas,

desde que folheei a Veja Brasília do ano que se finda a página do 4Doze Bistrô tava marcada. Simpatizei com o nome e com a  descrição.

Instinto certeiro esse meu. O restaurante fica 412 sul (sacaram o porquê no nome, né?) e me fez ir no almoço e no jantar de domingo. Tipo, conheci e quis voltar :)

Os preços são bem justos e comida bem cuidada. Há opções de pratos prontos e pratos que você monta: escolhe a carne e os acompanhamentos. As massas são uma pechincha, e essa foi a razão da volta: massa com molho de tomate e manjericão por R$ 16,90!!! Com molho pesto, R$ 18,90. 

Almocei filet de salmão na manteiga de frutas cítricas, salada verde com molho de laranja, mostarda e mel e purês de abóbora com mel e cará com hortelã. Um pouco mais de hortelã faria bem ao purê de cará. Mas nada demais. A salada estava deliciosa, assim como o purê de abóbora com mel. Por R$ 35,90.


Dica: como o molho do salmão é meio adocicado, um dos acompanhamentos fechado seria mais adequado. O conjunto ficou "florido" demais, o que, pra uma pessoa romântica como eu, tudo bem. Porém, não é o tipo de combinação que agrada a todos.

O Vinicius foi de bife de chorizo com molho barbecue da casa, tomate recheado com farofa de legumes e o conjunto de purês abóbora com mel e cará com hortelã. Carne no ponto pedido e tomate recheado, além de  bem apresentado, gostoso. Também por uns R$ 36,00.


Um super destaque do local é o cardápio musical. Adorei isso! Há um cardápio com milhares de opções de boa música que você pedir! Considero outra experiência ir num restaurante com boa música. Melhor: ir num local com música adequada a ele. 

Daí, voltamos na janta pra provar as massas e pedir mais músicas. Foi ótimo ter ido, o ambiente a noite é ainda melhor. Apesar de ser área externa, tem luz baixa com velinhas e tals.

Pedi fetuccine ao pesto com lascas de queijo de cabra. De.li.ci.o.so! Uma beleza de pesto por  R$ 18,90. Preço de sanduíche!!! Massa al dente, perfeito, perfeito. Na foto parece pouco, mas não é! Acredite.



O Vinicius pediu fetuccine com funghi, por R$ 22,90. Sem foto, mas garanto que farto, bem feito  e deixa com vontade de voltar. 

Na janta, encontramos um casal de amigos que provaram o robalo com alho poró (Thyago) e o escondidinho de cogumelos frescos (Ludmila). Falaram muito bem.

Por muito pouco não fui almoçar lá na segunda. Se a massa com molho de tomate for bem feita como as que provamos, é uma oportunidade imperdível. Tipo, bate o Peixe Urbano :P

A casa também serve vinhos em taça. Ó que coisa boa :) 

A noite, com a casa cheia, o serviço foi mais lento, mas ainda assim efetivo. O cardápio pode ser visto aqui.

Achei a descoberta ótima! 

Beijocas! Vanessa

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Carta do Google

Pessoas,

se tem uma coisa importante nos dias cibernéticos de hoje é receber uma carta do Google.


Esforcem-se para isso. A alegria compensa.
Beijocas. Vanessa

domingo, 12 de dezembro de 2010

Taypá Sabores Del Peru

Pessoas,

demorou, mas a gente foi. O Taypá é um belo restaurante peruano ali na QI 17 do Lago Sul, vizinho do Alice, Trattoria do Rosário, Pizza César e da La Boulangerie.

Logo que sentamos, nos ofereceram como cortesia da casa cesta de pãezinhos (do tipo ciabata, mas eles chamam de peruano) e patê de pimentão, queijo e ervas. Delícia.

Com o cardápio em mãos, foi difícil escolher. A maior parte dos pratos, em torno de R$ 50,00, é bem interessante. Vendo minha dificuldade na tomada da decisão, o garçom, sempre atento e disposto, perguntou se poderia sugerir. Disse "claro, como não?" e daí eu comi um dos pratos mais bonitos e saborosos da minha vida!

Chama-se Pescado ao Azafrans, era composto de robalo, uns 5 camarões gigantes do tipo que enchem a boca e é normal fatiar para comer, molho de pimenta rocoto, camarões e açafrão super bem posicionado e crocrete de mandioca e queijo gruyèr. Tudo isso estruturado numa torre linda de se ver e enfeitado com lascas de alho poró fritas. 


O Vinicius foi de Pescado a Lo Macho, que ele conseguiu escolher sozinho ao  ver um prato do tipo passar pra mesa do lado. Composto de filet de pescado com molho de mariscos e curry com arroz em tinta de lula. Apresentação incrível, sabor dos bons!


Não provamos o ceviche (por volta de R$ 30,00), por absoluta falta de espaço estomacal. Por essas e outras, pretendemos voltar mais algumas várias vezes. Além dos ceviches, parecem ser muito bacana os drinks, tem cervejas Colorado (R$ 13,00 a garrafa de 300ml), vinhos e ambiente que merece ser vivido a noite.

Beijocas. Vanessa

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Pobre Juan

Pessoas,

e aí que tem dia que a gente vai conhecer as novidades da cidade. 


O Pobre Juan é um restaurante de carnes argentino no shopping Iguatemi. Com uma decoração incrível loucamente entrosada, é caro pra burro e coisa de gente fina. Achei, inclusive, que era necessário algum acessório da Louis Vitton pra permanecer por ali...

No cardápio de bebidas, as cervejas importadas saem por quase 20 reais. Quais? Quilmes, Patrícia e Nortena, todas de 1 litro. Quase perguntei se estavam doidos. Uma dose de campari custa absurdos R$ 18,00! Acho que mais caro que a garrafa.

O couvert por custa 11,50 e é delicioso: pães que não param de ser repostos, legumes em palito e patê, azeitona. manteiga, vinagrete. O patê de gorgonzola merece respeito. Vale a pena.




Quanto às carnes, tem tamanho de homem (grande, dá pra dividir) e de mulher (pequeno, ou meia porção). A maior parte por volta de R$ 60,00 a R$ 80,00 o tamanho de homem. Detalhe: sem acompanhamentos, baby. Estes te custam mais quase 20 reais cada! Tem opções de risotos e peixes. Esses, mais baratos que as carnes. Me senti no Chile!

Fomos de corte especial de picanha (uma porção do maior tamanho para os dois), legumes grelhados e purê de batata. Carne deliciosa, macia, bem temperada. Acompanhamentos, ok. O Vinicius adorou o purê, eu já achei que o sabor da batata tava longe demais. Me pareceu que tava cheio de farinha de trigo.


a outra metade da carne bem mais larga. Ao todo, é um bom pedaço do boi.

Ponto para o cafezinho, acho que de Diamantina. Uma delícia de café, por R$ 4,50.

No atendimento, muitos garçons, ainda levemente perdidos, mas normal pra primeira semana. Aparentemente, o atendimento será super bom, exceto pela desgraça da cena de ver o dono dando tapinha na bunda de outro cara...Tomara que aqueles hermanos não comecem a dar beijinhos de cumprimento.

De noite, vai rolar cantoria por lá. Tem um belíssimo piano do lado de um belo violoncelo. Poderemos ter perfeitas noites felizes (e caras) bebericando um vinho e ouvindo uma boa música.

Concluindo, o lugar é bacana, a visita é interessante. Mas, acho que o Bsb Grill não perde pra ele em qualidade de carne. Por isso, fica na minha preferencia pelo custo benefício.

Beijocas! Vanessa

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Mais um pouco sobre outras coisas

Pessoas,

mais um post "aperta o passo" sobre várias coisas:

  • Pizzaria Valentina - boa pedida! Ambiente legal, atendimento bem satisfatório e pizzas deliciosas, com boas variações no cardápio. Vale a visita. Pizzas grandes entre R$ 35,00 a R$ 55,00
  • Mini Filet Beirute - no sempre bem-vindo Beirute, pratos minis que servem duas pessoas com apetite regular. Este, com filet acebolado, arroz, fritas e farofa de ovos por R$ 29,00. Delícia! Vale mais que o parmegiana.
  • Boteco - continuo achando que aquele copo com mais espuma que chopp é indecente. Não sei como pode fazer tanto sucesso. E se você reclamar, pode apostar que seu próximo chopp vem mijado. 
  • Dona Lenha: o que não pedir? Penne ao pesto com frango. Que pesto peba! O que pedir? Além do parmegiana clássico, algumas entradas valem como Prozac. Tipo:
carpaccio

lula empanada

  • Risoto à Parmigiana Tio João: comprei com pouca crença e quebrei a cara. Por R$ 6,00, porção para duas pessoas e é uma excelente pedida!!!! Siga fielmente as instruções da embalagem e seja feliz.

  • Disco do Schumainous tá vindo aí, e promete.
  • Cerveja Old Enginer Oil: acho que a mais preta que já vi e gosto de café e chocolate bem evidente. Gostei.
Beijocas. Vanessa

domingo, 5 de dezembro de 2010

Um pouco sobre muita coisa

Pessoas,

é chegada a hora de, literalmente, deixar de comprar peças de vestuário e coisinhas fofas e bonitinhas sem utilidade real e vital! 

Nada de computador ligado o dia todo nem luzes acesas pela casa por mero esquecimento. Banhos rápidos. E, nesse calor, podem ser frios.  

Convém também trocar a marca do sabão em pó e demais materiais de limpeza. De onde der pra economizar, é prudente que se faça. 

A razão é a abertura do comércio gastronômico da Capital Federal. Nas últimas semanas, abriram não sei quantos restaurantes, quantos lugares de cerveja ou o que mais. E ainda é a época de cerejas (passe no Pão de Açúcar ou Oba e duvido que resista!).

As novidades estão aí. Acontece que a lista de pendências não foi esgotada. Juntando com o pouco tempo/disposição para posts detalhados, vou apressar o passo nesse aqui:

  • O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo: já conquista pelo nome, né? É servido num quiosque no Parkshopping. Provei a versão sem açúcar e é realmente gostoso. Feito com chocolate belga, dizem que não leva farinha nem fermento. Como, Deus? O problema é o custo: R$ 13,00 a fatia do diet e R$ 11,00 do normal! Vale a pena conhecer e se livrar da curiosidade. 


  • Café das 5 Revistaria: um bom lugar pra matar o tempo entre a saída do trabalho e um teatro mais tarde. Vale também como lugar principal. Fica na QI 5 do Lago Sul, tem ambiente bem simpático, clima cult e atendentes atenciosos. Faz parte do Espaço Maria Tereza. O cardápio tem opção para cafés da tarde e também servem vinhos e bons acompanhamentos. Tivemos a sorte de no dia anterior ao que fomos ter rolado uma degustação de vinhos, então ainda tinha boas opções em taças. Comemos uma brusqueta de queijo brie com geléia de pimenta (deliciosa!!!) e sanduíche no pão ciabata de pepperoni com algum queijo, dos bons (a foto é meia-porção). Os dois perfeitamente conectados com os vinhos.



  • Grote Markt: loja de cervejas nacionais e importadas na 409 norte, bem em frente ao Godofredo. Diferentemente do Agrippina, do tipo bar onde se consome no local, a proposta é vender cervejas, tipo empório SS. Ainda assim, lá tem mesas para servir e algumas opções de cervas geladas. O local é pequenino, mas agradável. A proprietária super simpática. Quanto aos preços, são os mesmo da redondeza, não lembro de nada que destoasse, nem pra mais, nem pra menos. A Guiness sai por R$ 11,00. Bebemos uma Chimay Red (uns R$ 20,00 a garrafa pequena) e uma Weihenstephaner Hefe Weissbier (uns R$ 18,00) que nos surpreendeu. Deixo uma dica valiosa: ela é muitíssimo parecida com a blond da Abadia de Sint Sixtus, em Westvleterem. Juramos.
  • O Côco Bambu continua sendo uma ótima opção para confraternizações ou encontros de muitos amigos. As porções continuam servindo 3 pessoas (considere que além do prato principal, tem bebida, entrada etc) apesar do garçom insistir que servem apenas 2. Não caia nessa. Abaixo, um prato de medalhão com molho de mostarda e batatas assadas. Estada divino e custou menos de R$ 70,00.

Beijocas! Vanessa

sábado, 4 de dezembro de 2010

Orgulho dos meus

Pessoas,

em busca do DVD do Marcelo Campelo (hahaahhaha)  estive hoje na Livraria Cultura do Iguatemi. Ao perguntar pelo produto, a vendedora responde: "temos, sim! e também tem o DVD novo do Móveis". Assustada com minha cara de espanto, ela emendou: "é que quem gosta do Camelo, geralmente gosta de Móveis também".

Ah....disso eu sabia!!!! O que eu não sabia (e que me deixou feliz e orgulhosa) era que o Móveis lançou um DVD. E meu espanto foi por ter ouvido um outro alguém dizer simplesmente Móveis...assim, bem íntimo, tipo pelo apelido sobre alguém famoso. 

Eu adoro a banda! Há muito tempo. Desde do tempo que eles não eram tão conhecidos e sempre que me referia a eles como Móveis (tipo "vou no show do Móveis", com intimidade tal qual a da vendedora) em seqüência vinha um parágrafo de explicações.

- vai fazer o que hoje?
- vou no show do Móveis.
- show de quem?
- do Móveis.
- que Móveis?
- Móveis Coloniais de Acaju.
- de Aracaju?
- Não, de ACAJU. E são de Brasília.
- hmmmmm...tocam que tipo de música?
- todos os tipos numa só.
- e é bom?
- do caralho. Você devia ir também.
(alguns foram)

Daí o tempo vai passando, eles vão ganhando o mundo, aparecem ali, a cá, as explicações vão se tornando desnecessárias e não mais que de repente tudo se inverte. Onde eu andava que não sabia do DVD?

Fico orgulhosa porque sou fã a fã sempre se sente parte do crescimento. Porque são de Brasília. Porque tem um Ofugi na parada. Porque já fui em shows com quase ninguém, e/ou em shows sem muita pompa onde um dos integrantes era o cara da bilheteria e percebo que o sucesso tá sendo merecidamente alcançado. Porque Copacabana é uma das mais belas declarações de amor e todo mundo devia conhecer.



Obviamente comprei o DVD e se eu fosse você comprava também. Os caras são in.crí.veis no palco e a música é, no mínimo, interessante.

Beijocas. Vanessa

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Comer, Rezar e Amar

Pessoas,

bem atrasada, assisti Comer, Rezar e Amar. Ainda bem que o filme tem uma bela fotografia e  cenas deliciosas (literalmente) na Itália e maravilhosas em Bali. Porque a graça acaba aí.

O filme é arrastado, chatinho, sem graça e sem porquê. Muito drama por pouca coisa. 

Se a Liz tivesse lido 1 ou 2 livros do Roberto Shinyashiki*, teria resolvido todos os seus grandes problemas de forma rápida e eficiente.

Beijocas. Vanessa


*Update: sobre isso, outra opção para a Liz seria ouvir Gramofocas ou Jupter Maçã. Não há tristeza que resista a esses caras. 

domingo, 28 de novembro de 2010

Parada Obrigatória / Tri-Legal / Viva Verde

Pessoas,

há tempos tô em dívida com os quiosques de comida rápida, gostosa e barata das redondezas aqui de casa. Esse lugares são o feijão com arroz do dia-a-dia, sabe? Quando você quer algo prático, baixo custo e perto de casa. 

O Parada Obrigatória fica localizado entre as Octogonais 7 e 8. É basicamente freqüentado pela vizinhança e é comum perceber rostos comuns por lá. De quando em vez tá lotado e até estacionamento é difícil de achar. Muitos vizinhos se reúnem pra uma cerveja por lá. Aliás, até hoje não sei porque a reunião de condomínio é feita no salão de festas do prédio. Se fosse no Para Obrigatória, as reuniões ganhariam 2 novos adeptos.

Antigamente, servia apenas espetinho com acompanhamentos, mas o negócio evoluiu e agora servem também sanduíches, massas montadas, caldos, petiscos e etc. Porém, o carro chefe, sem sombra de dúvidas, é o tradicional espetinho com acompanhamentos, que varia de dependendo do dia. Acho que terças e quintas é baião de dois, farofa, mandioca e vinagrete, e segundas, quartas e sextas arroz branco, feijão tropeiro, mandioca e vinagrete. Acho que é assim. Tudo é bom, mas a farofa é divina!

Quanto às carnes, tem picanha, frango, alcatra. Pode ser espeto de queijo coalho também.

O preço é separado: os espetos custam entre R$ 3 a 5 reais, e o acompanhamento R$ 3,00. A carne é fresca e de qualidade: raramente vem gordura no espeto de alcatra. Como quase sempre vamos a noite, pedimos 2 espetinhos e dividimos um acompanhamento.


Já fomos milhares de vezes e apenas por uma ou duas vezes a comida deixou a desejar. Vale a pena apostar! Perto dele, também tem banca de revista, e outros quiosques de churrasquinho e sanduíche, que já fomos poucas vezes mas não são tão bons. 

Funciona à noite, acho que a partir das 18h, menos aos domingos. Recentemente estão abrindo pra almoço, do tipo serve-serve: o quilo é muito barato, e é proporcional às opções. Não recomendo. Costumam fechar uns 20 dias no mês de janeiro.

Não aceita cartão. Agora aceita, e também tem tele-entrega. O telefone é 3234-6369.

Já o Quiosque do Gaúcho Tri-Legal é um quiosque localizado ao lado do comércio entre as quadra da Octogonal 7 e 6. Fica embaixo de uma árvore, meio atrás/de lado da banca de revistas. 


Descobrimos o Tri-Legal há alguns meses e não fomos tanto quanto o Parada Obrigatória. Eles também servem espetos com acompanhamentos e pratos executivos com carne na chapa, petiscos e caldos. 

Aqui o preço é um pouco maior, mas a comida também é um pouco melhor. Por um prato executivo, paga-se algo entre R$ 10,00 e R$ 13,00, dependendo de é com carne de sol, picanha ou alguma outra que não lembro.

Na foto abaixo, a porção da carne é pra duas pessoas, e o prato montado com a salada é o executivo de uma pessoa. 


No Tri-Legal as carnes são excelentes e bem preparadas. Essa picanha estava macia e deliciosa!

Não aceita cartão.

O Viva Verde é bem novo e só fomos lá uma vez, e a primeira impressão foi boa: bom atendimento, comida gostosa, não é caro e aceita cartão! Fica na rua de trás do Terraço, bem na ponta da esquina da rua que separa a Octogonal e o Cruzeiro, bem  atrás da Octogonal 8.

É um lugarzinho de madeira, com detalhes verdes, transadinho e estilo saudável. Serve saladas, sucos, sanduíches e é afins, tipo açaí..

Quando fomos, comi uma salada com salmão por R$ 12,00. Quando pedi, pelo preço achei que viria salmão defumado desfiado. Mas não: veio um belo pedaço de filé de salmão.


O Vinicius pediu um sanduíche (que veio errado), então nem sei qual veio e qual ele pediu. Custou por volta de R$ 14,00. Estava gostoso e é digno de partilhar, né?


Pretendo voltar outras vezes.

Beijocas. Vanessa

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Carta ao Excelentíssimo Senhor Governador do Rio de Janeiro

Exmo. Sr. Sérgio Cabral,

quando eu era criança e estudava sobre a guerra, tudo era muito abstrato. Eu nunca tinha vivido uma guerra e nem mesmo assistido alguma na televisão. Mais crescidinha e assistindo ao notíciário, provei o sentimento de angústia e desespero ao me deparar com as cenas da guerra do Iraque e ataques terroristas.

E sabe aquela sensação terrível de piedade pelas pessoas de bem que sentimos quando ouvimos ou lemos sobre o oriente médio? E aquela sensação de esperar jamais ter que ir lá, por qualquer razão? A sensação de que é chegada a hora da guerra séria e milhares de inocentes morrerão, porque como está não dá pra continuar? É isso que sinto em relação ao Rio de Janeiro.

Eu sei que a culpa não é sua. A culpa é nossa. Porque a gente é tolerante com policiais corruptos, a gente compra droga ilegal, a gente adquire milhares de cds e dvds piratas. A gente vende nosso voto, a gente acha bom não precisar votar porque vai viajar. A gente tenta dar um jeitinho pra se dar bem. A sociedade toda é culpada para o caos instalado no Rio de Janeiro.

Mas, o que não podemos admitir, de jeito maneira, é que Vossa Excelência venha nos pedir calma. Se Vossa Excelência está calmo, com todo respeito, devo lhe dizer que Vossa Excelência não está entendendo. Eu estou em Brasília e não estou calma. 

Vanessa

"Lá tem Jesus
E está de costas..."
(Subúrbio, Chico Buarque)

sábado, 20 de novembro de 2010

Agrippina Bistrô - 102 norte, Brasília/DF

Pessoas,

então fomos ver de perto do Agrippina Bistrô, estabelecimento novo na capital e promete cardápio com mais de 100 tipos de cerveja.


Chegamos por volta das 21h e foi super tranqüilo estacionar (\o/) e conseguir uma bela mesinha com cadeiras e bancos de madeira que acomodassem as 6 pessoas.

A primeira impressão é ótima: lugar transadinho, com todas as mesas na área externa, em ambiente bem cuidado com grama verdinha. Já o serviço precisa ser melhorado.

Fomos atendido pela Laura, garçonete esforçada e conhecedora de cervejas que se virava nos 30 pra dar conta de todas as mesas (logo depois não havia mais mesa vazia)! Em determinado momento, fiquei levantando o braço várias vezes esperando que a Laura visse e pudesse vir, e percebi que um cara do tipo gerente/dono (aquele sem avental que volta e meia anda entre as mesas) já tinha visto meu gesto e só depois de quase ter fadiga muscular no braço o cara se aproximou e perguntou sobre o atendimento. Falamos que estava demorando muito (pra se ter uma idéia, pedimos uma tábua de frios e demorou pelo menos 40 minutos!!! ) e eu fiz o pedido pra ele.

Quanto ao cardápio de comida, tem muita coisa que parece ser bem legal, tendo a cerveja como ingrediente. Na divulgação, li sobre harmonização de pratos com cerveja, mas no cardápio não há referência a isso. Não sei do tamanho das porções e me lembro de preços entre R$ 30,00 e R$ 45,00, mas não confiem muito nessa informação porque eu prestei muito mais atenção ao cardápio de cervejas. 

Particularmente, não me agrada muito comer acompanhado de cerveja. Cerveja pesa, e  juntando com um prato de comida, acho que seria capaz de dormir uma vida inteira. Eles deveriam ter mais e melhores petiscos.

Os petiscos foram tristes: pedimos uma batata com bacon e que horror! O único consenso foi que a batata era do tipo congelada. Mas não chegamos a um acordo se ela foi colocada em óleo frio e descongelada lentamente ali, ou se ela foi assada horas antes. Chegou quase fria, completamente sem sal, o bacon era uma farinha que não parava sobre a batata. Eu acho que ela foi assada horas antes, porque não estava oleosa. Mas era murcha, insossa e sem cor. Depois desse, tentamos a tábua de frios, demorou séculos e chegou sem alardes, com molhos sem graça e torrada idem.

Vamos às cervejas! A minha primeira pergunta para a Laura quando ela trouxe o cardápio das cervas foi se tinha todas as opções. Não tinham 26 rótulos, que considerei normal para a extensa lista. Mas grave foi não ter Bohemia Weiss (R$ 9,80), que até o Pão de Açúcar e Wal Mart têm, e nenhuma das Eisenbaln.

O preço das cervejas nacionais são ok. As Colorados grandes por R$ 19,90, as pequenas por volta de R$ 13,00. A Backer Medieval (deliciosa e com garrafinha linda!) por uns R$ 16,00. Porém, a Lust custa R$ 180,00, o que considero muito caro! No Bar Godofredo, ela sai por R$ R$ 70,00 (valores verificados na revista Veja Brasília 2010/2011. Mesmo que esteja desatualizado, a diferença ainda é gritante) ou R$ 36,00 a garrafa pequena no Mittelalter.

As alemãs de trigo, por volta de R$ 18,00. A Guinees sai por R$ 18,90.

Já as belgas são de arrancar o couro! A DeuS está no cardápio por absurdos R$ 420,00!!!! As trapistas pequenas ficam em torno de R$ 40,00. 

Tem La Trappe, por quase R$ 70,00, mas não sei o tamanho da garrafa, ou talvez soubesse esqueci. Tem que ir pra ver, ainda tem mais cervejas de um monte de nacionalidades.

No final, pedimos de sobremesa sorvete de Guinness, desenvolvido pela Gula Gelada: textura incrível, sabor de Guiness :) Tem que gostar de Guinnes para apreciar, mas não pediria de novo.

Pelas cervejas a visita vale a pena. Mesmo com as falhas estruturais (completamente contornáveis), a casa fica numa quadra excelente, é agradável e uma boa oportunidade para amantes de cerveja. Fiquei bastante curiosa pelos pratos.

Beijocas. Vanessa

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Bolo de caixa de chocolate Sol sem açúcar

Pessoas,

se alguém de vocês faz parte do mundo diet no dia a dia, vai a dica do bolo de caixa de chocolate Sol sem açúcar. 




Quando vi no mercado, a preço regular (considerando que tudo diet é mais caro), comprei na hora. Super fácil de fazer, só adicionar ovo, leite e manteiga. Eu adicionei também castanha de caju moída.

Ficou bem gostoso. Prum produto diet, é excelente!!! Acompanhado de um cafezinho é tudo de bom, o perfeito café da manhã.

Achei no Pão de Açúcar. Na segunda, fui Wal Mart e não encontrei o bichano. Talvez só será encontrado em mercados melhores. Já tenho mais um motivo pra ir ao Pão de Açúcar, coisa que me deixa preocupada. Sempre que vou lá, a conta do mercado sai muito mais cara do que deveria, eu com muito mais sacolas que o necessário e chego em casa com a sensação de que estive no shopping, literalmente.

Beijocas. Vanessa

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Pan Doo

Pessoas,

a primeira coisa muito boa do Pan Doo é a quadra que ele fica localizado, na 306 sul. Se você vier pela L2 e for subindo pelas quadras lotadas no trecho, quando chega à 306 garanto que ergue as mãos para o céu e agradece pelas milhares de vagas sobrando. 

Estaciona bem na frente e logo aparece a segunda melhor coisa: o garçom José. Simpatia e atenção é bobagem! Sorridente, disposto, uma beleza. 

Dai, a terceira melhor coisa é o cardápio, que você pode conhecer aqui. Tanta coisa interessante (com a indicação da nacionalidade) que logo a primeira coisa ruim aparece: escolher. 

Estávamos quase sem fome, então optamos por uma entrada e um prato principal. Para entrada, sushi de ceviche de salmão, coberto com molho romesco e castanha de caju, acompanhado de molho shoyo com gengibre, por R$ 16,90. Estava gostoso, apesar de que o molho e a castanha quase matava o gosto do sushi. Do salmão mesmo não se sentia gosto algum. Ainda assim, o prato é interessante, mas sem precisar pedir novamente, entenderam?



Para o prato principal, optamos (após pedir opinião do José) pelo camarão ao leite de côco, creme de leite e açafrão da índia com abacaxi acompanhado de arroz de jasmine, por R$ 32,90. O prato é servido na metade do abacaxi, com ótima apresentação. Camarões médios e firmes, molho delicioso e cremoso. O abacaxi parece que alivia o "peso" do molho, e ainda dava uma adocicada, pois estava maduro na medida certa. 


O arroz jasmine é tailandês e tem um suave aroma que é tudo de bom. No cardápio, vários pratos são servidos com esse tipo de arroz.

A quantidade de comida foi mais que suficiente para a pouca fome, e seria ideal para a fome padrão. Ah, pedimos um espumante, o que também ajudou no excesso de saciedade

A carta de vinhos, aliás, pareceu atraente. Não lembro detalhes, mas os preços eram pagáveis. Tinha um espumante da Casa Valduga que custava uns R$ 28,00.

Adoramos e queremos voltar pra provar outros pratos. Ah, e gostamos de amigos. Podem nos chamar :)

Beijocas. Vanessa

sábado, 13 de novembro de 2010

Invictus

Pessoas,


dica de filme imperdível? Invictus.


Ah...o perdão. Tão difícil, e por isso tão nobre.


Beijocas. Vanessa

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O CCBB me faz feliz.

Pessoas,

quando me lembro que o CCBB existe e me disponho a olhar a programação e vou comprar ingressos (quando preciso) redescubro como sou feliz por lá e fico agradecida por termos isso na querida Brasília. E como tenho me lembrado, me disposto e comprado, vou registrar :)

Pois bem. Está por lá a exposição O Mundo Mágico de Escher. São lindas obras com ilusão ótica do artista holandês. Bastante interessante, vale a pena a visita, especialmente a Sala de Espelhos e o filme 3D, de 10 minutos. E não deixem de fazer fotos no cenário que fica em frente à bilheteria, ok? A exposição fica lá até 26 de dezembro e é de graça.


foto meramente ilustrativa

foto meramente ilustrativa




Teremos também peças de teatro, como Fragmentos do Desejo e Inverno da Luz Vermelha, a última indicada ao Prêmio Politzer em 2006. 

Ah, e tem música.  Tô curiosa pelo espetáculo Riffs, Grooves e Beats, e terá Cidadão Instigado e Karina Buhr. Assisti Cidadão Instigado em 2005 em Curitiba e odiei! Mas, 5 anos depois e por R$ 7,50 eles merecem uma nova chance.

A programação completa tá aqui. O ingressos começam a ser vendidos 15 dias antes da primeira apresentação. Os preços? R$ 15,00 a inteira, R$ 7,50 a meia (estudantes, professores, funcionários e correntistas do Banco do Brasil (olha que bom!) e maiores de 60 anos).


O misto de restaurante/lanchonete/livraria, se não me engano chamado Bom Demais, tem boas opções de comida e bebida. Serve panquecas, sandubas, e afins. O sanduba tem tamanho adequado para 1 pessoa e meia, e custa por volta de R$ 14,00. De cerva, a Bohemia Weiss sai por R$ 8,50. Boa pedida.


porção de 4 triângulos.

Aproveitem!

Beijocas. Vanessa